domingo, 24 de outubro de 2010

SENTINDO SEU CHEIRO


Venho de outros mundos,

Onde os rumos são outros,

Onde os destinos vêm traçados,

Onde a sorte é lançada,

ao vento,

na linha do horizonte,

nas palmas das mãos,

ainda que não tenham linhas,

ainda que não contem histórias,

E aqui a história nasceu,

traçada pelos fios dos seus cabelos,

pelos fios de intenções incontadas,

pela linha, que liga intenção e gesto

pelo toque,

pelo cheiro,

do seu cabelo,

que como fera, se solta na madrugada,

entre meus dedos,

e esvoaça solto no ar,

no movimento do seu prazer,

da sua lascívia,

da sua libido louca e indomada,

Do gosto da sua boca,

Do seu segredo aberto e incontido,

Do rastro do seu perfume que fica,

Do cheiro da sua pele,

nos lençóis,

no meu corpo,

No meu rosto que brilha

do seu deleite,

Na minha lembrança inconfessável,

irrevelável,

Na saudade,

e na vontade de mais uma noite,

ou mais uma vez sentir seu cheiro,

e mais uma vez,

e outra, vez de novo...

Vera Celms

domingo, 17 de outubro de 2010

ACOSTAMENTO


Queria que me seguisses,

Que me adorasses,

Por oculto que fosse,

Transparente,

Oportuno ou oportunista,

Queria encontrar

O recado na calçada,

Escrito a caco de tijolo,

A carvão,

Ou a intenção,

Queria sentir o rastro do seu tesão,

No seu perfume,

Deixado pelo meu caminho

Me excitando, me excitando,

Até que eu não agüentasse mais,

E me desmanchasse no percurso,

Para você saber,

Pra você sentir,

Que é tudo seu...

E por fantasia,

Basta que pare no acostamento...

Vera Celms

domingo, 10 de outubro de 2010

MUITO ALÉM DOS SONHOS


Muito além do sonho

Nasceu o olhar,

Sedutor, mágico, irrevelável,

O corpo, o arrepio,

Pele, pelos,

Mãos e bocas,

O gosto imutável,

Que o tempo segurou,

A saudade perene.

Muito além da razão,

Nasceu o tesão,

A imaginação,

A transpiração,

A fantasia,

Nasceu a vontade,

A água na boca,

A pegação,

Muito além do sonho,

Nasceu o personagem,

Nasceu a imagem,

A libidinagem,

A sacanagem,

Muito além do sonho,

A química revelou...

O toque fundamentou,

O perfume contaminou,

A lembrança eternizou,

E o sonho então sonhou...

Vera Celms

terça-feira, 5 de outubro de 2010

MORORAL

Teu corpo é meu,

Pele, pelos, transpiração,

Toda a sua ereção,

Todos os cheiros e gostos,

O encaixe perfeito,

Mãos e coxas,

Peito e ombro,

Teu olhar no meu,

As estrelas dos teus olhos,

Nas estrelas dos meus,

A minha fantasia esperando teu solo,

Ainda mal regado,

Estéril, mas volátil,

Já fui o que hoje são lembranças suas,

Tu és a imagem difusa

Entre o sonho e o despertar,

Tu és minha vontade de amar,

De me entregar,

De estar, de ficar, de permanecer,

Entre seus braços nervosos,

Entre suas coxas inquietas,

De onde meus olhos procuram os seus...

Vera Celms